Quais são modelos de negócios viáveis para o jornalismo

Compartilhe

Que modelos de negócio são viáveis para empresas jornalísticas hoje?

Conversei sobre o tema com a professora Beth Saad, em webinário da série Empregabilidade no Jornalismo Digital Brasileiro. Está no canal do YouTube do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE), da Escola de Comunicação e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP).

Em 2001, apresentei minha dissertação de mestrado na ECA, que tinha como título A economia do excesso e tratava da venda de informações pela web.

Apesar de ter escrito a dissertação antes do estouro da bolha da internet, o que penso agora não é muito diferente do que pensava naquela época.

Há oportunidade de vender notícias que as pessoas possam usar no trabalho (como as que tratam de economia e negócios) e para empresas que não tenham como atividade principal o jornalismo.

Mas muita coisa mudou de lá para cá. Plataformas tecnológicas como Google e Facebook concentram cerca de 80% do mercado de publicidade digital, o que fez com que muitos veículos tradicionais buscassem viver de assinaturas.

Para publicações segmentadas, eventos eram uma boa fonte de receita, mas daí veio a pandemia.

Transformação digital

Eu me formei em 1995, ano da chegada da internet comercial ao Brasil, e escrevi a respeito meu trabalho de conclusão do curso de jornalismo, sob orientação do professor Ethevaldo Siqueira.

Depois que me formei, o Ethevaldo me chamou para trabalhar com ele na Revista Nacional de Telecomunicações (RNT). Meu primeiro desafio foi lançar o site da revista.

Naquela época, eu achava que, quando os meios digitais ultrapassassem os tradicionais, eu já estaria aposentado. Lembro que a Folha de S. Paulo tinha uma campanha chamada Folhão do Milhão, porque tirava mais de 1 milhão de exemplares no domingo.

Hoje, o cenário é outro. As plataformas tecnológicas colocaram em xeque até mesmo os modelos de negócio do jornalismo digital.

A transformação digital das comunicações não é um processo simples.

Fui aluno da Beth Saad na graduação, mestrado e doutorado, e fiquei muito feliz de participar do webinário.


Compartilhe
Previous Article

Quais são os caminhos para a Indústria 5.0

Veja também

Indústria 5.0: Milton Ribeiro, CEO da SPS Group, no evento ERP Experience: Bem-vindo a 2050

Quais são os caminhos para a Indústria 5.0

Compartilhe

CompartilheA manufatura passa por um momento de profunda transformação. Vivemos a quarta revolução industrial, e nos preparamos para adotar o conceito de Indústria 5.0, que combina a digitalização à sustentabilidade e coloca as pessoas no […]


Compartilhe
Transformação Digital - O que é e por que vale a pena investir?

Por que vale a pena investir na transformação digital

Compartilhe

CompartilheComo a digitalização acelerada que vivemos tem afetado pessoas e empresas? Conversei sobre transformação digital com Marcelo Rocha, vice-presidente da Zendesk Brasil, e o professor e palestrante Fernando Kimura. Você também pode assistir à conversa […]


Compartilhe
ERP Experience

Participe do evento ERP Experience: Bem-vindo a 2050

Compartilhe

CompartilheA Indústria 5.0 é um passo à frente em relação à Quarta Revolução Industrial, que vivemos hoje. O conceito combina digitalização e sustentabilidade, numa visão que vai além do aumento de produtividade e eficiência. O […]


Compartilhe