Huawei: Por que a computação em nuvem avança no Brasil

Erik Schanz, gerente sênior de desenvolvimento de negócios da Huawei Cloud, fala sobre o mercado de computação em nuvem no Brasil
Compartilhe

O mercado brasileiro de computação em nuvem é bastante promissor.

“As empresas não têm mais temor de ir pra nuvem”, sintetiza Erik Schanz, gerente sênior de desenvolvimento de negócios da Huawei Cloud.

“É um mercado maduro, com players já consolidados, mas com espaço para novos, como a Huawei Cloud.”

Além disso, segundo Erik, as empresas já estão atentas com relação aos benefícios da tecnologia e para a importância no futuro.

“A nuvem traz muita agilidade, escalabilidade e dinamismo para as organizações”, ressalta o executivo.

Futuro da tecnologia

Com o advento da quinta geração das comunicações móveis (5G), o papel da nuvem fica ainda mais importante.

“O 5G vai trazer uma capacidade muito grande de conectividade e um consumo maior de dados”, diz.

“É o insumo para tratarmos os dados na nuvem e entregarmos em melhorias para organizações e usuários finais.”

Além disso, Schanz destaca as transformações causadas pela inteligência artificial por meio da nuvem.

“A inteligência artificial é um dos componentes que temos na solução de nuvem. Ela vem para resolver problemas em alguns domínios”, resume.

Por dentro da Huawei Cloud

A Huawei Cloud é uma oferta de nuvem pública disponível em mais de 10 regiões globais.

Assim, começou com Ásia e África do Sul para, agora, caminhar em direção à América Latina.

“Estamos nos posicionando com grande cobertura na região”, diz Erik Schanz.

Para saber mais, assista à entrevista em vídeo de Erik Schanz à Conexão Huawei.


Compartilhe
Previous Article

Podcast: Como a Conta Black busca ampliar a bancarização

Next Article

Como está a inclusão de profissionais transgêneros no mercado

Veja também

O Pebble tem entre 2,2% e 3,3% de participação de mercado, dependendo da consultoria / Jonas Birmé/Creative Commons

Como está o mercado de relógios inteligentes

Compartilhe

CompartilheO mercado de relógios inteligentes cresceu 60% no terceiro trimestre, com vendas de 6,1 milhões de unidades em todo o mundo, segundo a consultoria Canalys. O resultado é bem diferente do que foi divulgado alguns […]


Compartilhe
José Borges Frias Junior e Rafael Dias, da Siemens, falam sobre o desenvolvimento da indústria 4.0 no Brasil em entrevista em vídeo

Quais são as perspectivas para a Indústria 4.0

Compartilhe

CompartilheAdotar o conceito de Indústria 4.0 é essencial para a competitividade da economia brasileira. José Borges Frias Júnior, diretor de estratégia e desenvolvimento de negócio da divisão Digital Industry da Siemens, e Rafael Dias, head […]


Compartilhe