Huawei: Como levar conexão para quem ainda não tem

Roberto Gerent, da Huawei, fala sobre inclusão digital / inova.jor
Compartilhe

Levar conexão para quem ainda não tem é um desafio. Recentemente, a Huawei mostrou como está trabalhando nesse sentido.

No Huawei Connect, em Xangai, a empresa anunciou seu plano de inclusão digital.

“A Huawei faz a inclusão digital para que empresas e usuários possam usufruir de toda a tecnologia”, disse Roberto Becker Gerent, executivo para novos negócios em cloud da Huawei Brasil.

“Pretendemos reduzir os custos de equipamentos e diminuir o gap entre os usuários, seja em utilização de cloud, inteligência artificial ou internet das coisas.”

Durante o evento, a empresa também apresentou a integração entre inteligência artificial e nuvem.

“Anunciamos o Atlas 900, que é o cluster de inteligência artificial mais rápido do mundo”, disse o executivo.

“As empresas estão indo cada vez mais para a cloud. Elas só querem saber qual o jeito mais rápido de chegar na nuvem. Com essas novas tecnologias, os algoritmos são otimizados e o poder computacional fica mais acessível.”

Huawei e o 5G

Uma dúvida que surge, a partir dos planos de inclusão digital, são as novas tecnologias que vêm pela frente. Será que o 5G, por exemplo, não vai deixar os dispositivos mais caros?

Segundo Gerent, a Huawei já está se preparando com fábricas inteligentes.

“Visitei a nova fábrica da China e os processos são automatizados. Além disso, temos um grande centro de pesquisa e desenvolvimento”, disse o executivo.

“Isso faz com que haja uma redução de valor dos equipamentos, facilitando a entrada de novas tecnologias.”


Compartilhe
Publicação Anterior

Nestlé recebe inscrições para programa de startups

Próxima Publicação

Para muitos jovens, tecnologia gera tristeza e ansiedade

Veja também

É crescente a necessidade de capacitação na área digital/ Unsplash

Capacitação é desafio para competir no futuro digital

Compartilhe

CompartilheDe acordo com pesquisa realizada recentemente pela consultoria global Gartner, a inteligência artificial e tecnologias como assistentes virtuais e robôs comporão 69% da força de trabalho em posições gerenciais até 2024.  Sob essa perspectiva, a mesma […]


Compartilhe