Huawei: Como capacitar bons profissionais em tecnologia

Amalia Andreu Silva, da Huawei, fala sobre o programa Seeds For the Future / inova.jor
Compartilhe

O Brasil tem uma grande demanda inatendida por profissionais de tecnologia da informação e da comunicação (TIC).

Para ajudar a endereçar esse problema, a Huawei promove, entre outras iniciativas, o programa Seeds for the Future, que leva estudantes para duas semanas de imersão cultural e tecnológica na China.

“O programa tem como principal pilar a responsabilidade social corporativa”, afirma Amalia Andreu Silva, gerente de Recursos Humanos da Huawei. “Buscamos, por meio desse programa, fortalecer os talentos na área de TIC, para diminuir de certa maneira o gap entre a universidade e o que o mercado demanda desses jovens.”

O programa começou em 2008 na China e foi trazido ao Brasil em 2015. Desde então, cerca de 100 estudantes brasileiros participaram do Seeds For the Future.

Na primeira semana, eles estudam cultura chinesa em Pequim, incluindo caligrafia e mandarim. Na segunda semana, recebem um treinamento em TIC, na sede da Huawei, em Shenzhen.

“Nessa segunda semana, eles aprendem sobre tecnologias de rede móvel, rede fixa, cloud. Enfim, tudo o que temos de mais tecnológico para oferecer a eles”, explica Amalia.

Processo de seleção

Desde a primeira edição do programa, a Huawei do Brasil trabalha próxima dos ministérios da Educação e de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, para buscar, em universidades parceiras, os melhores alunos para participarem do programa. A empresa também tem oportunidade de levar para a China alguns de seus estagiários.

“Trabalhamos fortemente com as universidades para incentivar a capacitação, não apenas pelo Seeds, mas por alguns outros programas, para que consigamos fomentar o estudo de TIC. Não apenas para a Huawei, mas para a indústria geral de TIC no Brasil e no mundo”, diz.

Na visão da especialista em RH, os estudantes precisam se aproximar mais do mercado quando ainda estão na universidade, seja por meio de estágio, seja por treinamentos e cursos. “Acho que essa é a melhor saída para o jovem se capacitar”, explica.

Ela aponta que situações como estágios, projetos, viagens e intercâmbios fazem com que o jovem se profissionalize e que avance também do ponto de vista pessoal.

“Hoje, em qualquer empresa e em qualquer trabalho, cuidar do lado pessoal também é importante para se manter como um bom profissional”, complementa.

Para ter mais informações sobre o programa Seeds for the Future e o mercado de trabalho em tecnologia, assista à entrevista em vídeo de Amalia Andreu Silva à Conexão Huawei.


Compartilhe
Publicação Anterior

Tegma busca startups do setor logístico para aceleração

Próxima Publicação

É preciso pensar em gestão de desenvolvimento de pessoas

Veja também

Transformação digital pode demorar no Brasil

Compartilhe

CompartilheO receio na adoção de novas tecnologias deve fazer as empresas brasileiras gastarem mais tempo do que o esperado no processo de transformação digital. A conclusão faz parte de uma análise de tendências e dados sobre adoção […]


Compartilhe