Saiba como o PIX vai mudar os pagamentos

Chalub (e.) e Teixeira (c.) falam sobre o Pix no inova.jor cast / Divulgação
Compartilhe

Chalub (e.) e Teixeira (c.) falam sobre o Pix no inova.jor cast / Divulgação
Chalub (e.) e Teixeira (c.) falam sobre o Pix no inova.jor cast / Divulgação

Começou oficialmente hoje (5/10) os registros das chaves PIX, sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central.

A chave PIX pode ser email, número do celular, CPF ou CNPJ, e substitui os dados da conta no momento do transferência.

Rodrigo Teixeira, CEO da Bmg Granito, e Ray Chalub, diretor de operações e produto do Inter, conversam com o jornalista Renato Cruz sobre como o sistema muda o mercado de meios de pagamento, no inova.jor cast.

O podcast é publicado semanalmente no Spotify,  DeezeriTunes e SoundCloud.

Agilidade nos pagamentos

O sistema deve substituir pagamentos em dinheiro vivo, além de outros tipos de transferência, como DOC, TED e cartões.

“O PIX vai possibilitar clientes fazerem pagamentos ou transferirem dinheiro para outras pessoas 24 horas por dia, set dias por semana” explicou Rodrigo Teixeira, da Bmg Granito.

Além disso, vai elevar a competitividade no mercado dos meios de arranjos de pagamentos.

“O PIX vai custar um décimo de centavo [para as instituições]. Isso gera muito mais competitividade no envio de recursos”, comenta Ray Chalub, do Inter.


Compartilhe
Publicação Anterior

Como funciona o PIX, sistema de pagamentos instantâneos

Próxima Publicação

Assista ao webinar Competição no 5G, em 20 de outubro

Veja também

Kelvin Queiroz, da Siagri, e Bruno Custodio, da Sky.One, falam sobre nuvem no agronegócio no inova.jor cast

Como está a adoção de nuvem no agronegócio

Compartilhe

CompartilheO agronegócio tem investido em computação em nuvem, em seu processo de digitalização. Kelvin Queiroz, analista de alianças e parcerias da Siagri, e Bruno Custodio, gerente de vendas de nuvem da Sky.One, conversaram sobre o […]


Compartilhe
A Nintendo tentou colocar a realidade virtual no mercado há 20 anos, com o Virtual Boy, mas não deu certo

Quando a realidade virtual era o futuro da tecnologia

Compartilhe

CompartilheO pesquisador Jaron Lanier é conhecido hoje por ser autor de livros como Gadget: você não é um aplicativo e Bem-vindo ao futuro, em que propõe que mudemos a forma como nos relacionamos com a tecnologia. No século passado, […]


Compartilhe