Por que a uberização não funciona no transporte de cargas

Compartilhe

Por que a uberização não funciona no transporte de cargas
Caminhões possuem lógica diferente da dos táxis / Phil Bus

Comumente, grandes empresas de tecnologia para o setor de transportes são chamadas de “Uber dos caminhões”.

No entanto, as novas tendências que circundam o processo atestam, cada vez mais, a uberização não funciona no transporte de cargas.

Analisando o exemplo de como a Uber mudou o mercado dos táxis, no qual havia um monopólio criado por meio de lei que proibia a concorrência, havia taxistas que sabiam que poderiam cobrar preços abusivos em troca de serviço de péssima qualidade.

Afinal, os clientes, sem opções, continuariam usando seus serviços. 

A oportunidade da empresa de tecnologia estava em quebrar as barreiras legais que protegiam o monopólio. Além de competir com um serviço de qualidade razoável e com preço justo.

Assim, em outras palavras, o pulo do gato estava em trazer concorrência para uma indústria sem concorrentes.

Além de economizar dinheiro, os clientes pela primeira vez viajariam com motoristas esforçados em oferecer um bom serviço, em troca de uma boa avaliação. 

Diferentemente do mercado de táxis, o setor de transporte de cargas é um mercado altamente competitivo e com baixas barreiras de entrada.

Cenário do transporte de cargas

Por que a uberização não funciona no transporte de cargas
Federico Vega, da Cargo X / Divulgação

Os transportadores se esforçam em oferecer o melhor serviço ao menor preço possível para conquistar e manter clientes.

Isso resulta em margens muito apertadas e uma alta porcentagem de transportadores que não conseguem sobreviver com a alta concorrência. 

Existem milhares de embarcadores e transportadores que não se conhecem.

Assim, nesse cenário, encontramos altos índices de inadimplência. Além de sinistros nas cargas e empréstimos bancários inexistentes ou com juros abusivos para os transportadores. 

Tudo isso aponta para o motivo pelo qual o modelo da Uber não consegue modificar este mercado.

Ou seja, um concorrente a mais, digital ou não, não conseguirá trazer eficiência significativa em termos de custos e nível de serviço para os embarcadores e nem ajudar os transportadores existentes.

Além da uberização

Assim, como em toda indústria fragmentada e altamente competitiva, a solução está em trazer benefícios para empresas já estabelecidas no mercado, ao invés de mais concorrência.

Os marketplaces são plataformas eletrônicas que conectam as partes envolvidas no processo para transacionar dentro de um ecossistema que traz transparência e segurança, beneficiando as empresas honestas e penalizando as desonestas. 

Uma plataforma digital que concentra as transações do mercado também consegue atrair capital para seus usuários e negociar insumos para todos seus membros com maior efetividade do que cada membro conseguiria isoladamente.

Isto é justamente o que empresas como a Amazon ou o Mercado Livre têm feito nas indústrias do varejo, e a Airbnb no mercado de hospedagem. 


Compartilhe
Publicação Anterior

Por que o avanço da energia solar deve acelerar no Brasil

Próxima Publicação

Podcast: Como estão os empréstimos peer to peer no Brasil

Veja também

Ideias: A Nest revolucionou o mercado com um novo significado / Patrick Haney

Como criar significado num mundo repleto de ideias

Compartilhe

Compartilhe“Todos são criadores de significado. Criamos significados por meio das pessoas que amamos. Mas também os criamos com a humildade e responsabilidade do trabalho cotidiano. Cada um de nós, com sua profissão, gera produtos, serviços […]


Compartilhe